TURISMO

Organizando a mala de viagem

Técnica básica de como organizar uma bagagem enxuta

Caixa Preta

Caixa PretaO Caixa-Preta é um espaço que faz o registro perfeito de tudo o que posta: matérias, análises, coberturas e entrevistas. Temos muita moda, muito cinema e turismo, os melhores eventos, além de trazer as melhores entrevistas. Quem faz? Alfredo Albuquerque, 26 anos, Paraíba, apaixonado por tudo o que escreve. Sim, é filho, irmão, tio e padrinho. <3

27/07/2019 14h44Atualizado há 4 meses
Por: Alfredo Albuquerque

Olá, pessoas, tudo bom?

Passei um tempo longe daqui, mas estou voltando e tentarei manter a constância dos posts. Conto com vocês para sugerirem pautas, destinos, looks para comentários, enfim, interagirem! E vamos começar o post de hoje que tem o tema: MALA DE VIAGEM.

Antes de tudo saibam que a mala de viagem é uma arte e que o domínio requer prática. E depois de muita prática, eu aprendi que o menos pode ser mais. Pode ser o infinito. Basta escolher as peças certas.

A primeira coisa a saber, depois de saber que montar mala é uma arte, é que há um custo para o despacho de bagagem, logo, para baratear a trip, você precisa tentar fazer o mínimo de bolsas [confira as novas políticas aqui]. Então, as orientações a seguir lhe ajudarão a começar [isso, começar. Com o tempo, desenvolva seu modo de acordo com suas experiências]. E vamos às dicas:

1. Analise o destino, o tipo de viagem e o roteiro. Essa medida definirá as principais peças da bagagem. Por exemplo, se for um roteiro para o litoral nordestino no verão, a predominância é de peças leves, roupas de banho e cores suaves [essa parte de cor não é nesse tópico, foi só para ilustrar]. Se for viagem para Micareta, a mala terá muitos abadás, que temos dicas de customização aqui. Já se for motivo de trabalho, a roupa específica irá e – para diminuir no peso – já conta como look do dia.

2. As cores são outra coisa bem importantes na sua mala porque esse é outro elemento que lhe fará levar uma bagagem pequena. Escolha cores que combinem entre si e se conversem. Nada de looks específicos por dia e fechados no seu mundinho, permita-se o direito da mudança e tenha arcabouço para isso. Então, calças com lavagens básicas; T-shirts com cores neutras; roupas de banho que permitam a interação na troca de conjunto. Enfim, evite levar o arco-íris inteiro porque você não vai usar.

3. O seu estilo de roupa deve variar com o roteiro, como já dito, mas se garanta em ter uma composição para a caminhada na praia, para um jantar à noite num restaurante mais arrumado, e o do cinema. Os complementos ideais para isso são: a sandália de dedo, a clássica oriunda do Havaí [para não fazer propaganda]; um sapato ou sandália de salto; e um tênis. Homens, sandálias e docksids resolvem a nossa vida.

4. A nécessaire pode ser a mais básica possível. Mulheres, nada de um imenso mundo de maquiagem, o básico para uma segunda pele [básica e decente] e o que garanta uma cor natural Nada de carnaval. Lembre-se que é para o nordeste, então, o iluminador [o SOL] é de graça. Os produtos de higiene básico, caso tenha shampoo e condicionador específico, você leve. Se for desapegado, o da hospedagem serve. Toalhas e lençóis? Do mesmo modo do shampoo.

5. Ah, e os coringas? Temos! Um cardigã para um eventual frio, e um look a mais para um passeio inesperado.

Lembrem-se: não tomem isso como verdade absoluta, apenas uma forma de iniciar o enxugamento de bagagens.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.