Corpos gordos

Corpos gordos é tema do espetáculo “Dois pesos, Duas medidas” em cartaz no Teatro Sesi

Em cartaz de 21 de novembro a 13 de dezembro, peça tem no elenco Fernanda Beltrão e Daniel Calibam

07/11/2019 15h12
Por: Redação
Fonte: Assessoria de imprensa
 Reprodução / Imprensa
Reprodução / Imprensa
Pensando em contrapor a ideia de que gordo é sinônimo de pessoas sedentárias, feias, ausentes de saúde, o ator e diretor teatral João Guisande convidou o ator Daniel Calibam e a atriz Fernanda Beltrão, corpos gordos, para o espetáculo "Dois pesos, Duas medidas", que estreia dia 21 de novembro, no Teatro Sesi Rio Vermelho, e fica em cartaz ate 13 de dezembro, quintas e sextas, às 20h.
 
De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 20% da população brasileira está acima do peso. Beltrão e Calibam nos apresentam duas personas gordas que trazem com humor e coragem situações cotidianas reais e imaginadas sobre o universo gordo. Condição repleta de preconceitos sociais que tem feito crianças e adultos entrarem numa guerra contra a balança, crises de ansiedade e a quebra do espelho, pois não conseguem enxergar beleza em seus corpos.
 
Na mesma linha poética de autoficção, trabalhada no espetáculo Foi Por Esse Amor – em que Guisande dirige e divide a cena com o pai para contar historias de família -, "Dois pesos, Duas medidas" traz experiências pessoais de Beltrão e Calibam. Sem uma dramaturgia linear e bastante fragmentada, escrita a seis mãos, os artistas dançam num ritmo frenético, utilizando bases da palhaçaria, da tragicomédia e do grotesco para falarem dos dramas e das delicias das gorduras dessa vida.
 
Com muita música e dança, ator e atriz exibem seus corpos, desnundam-se e trazem histórias dolorosas e engraçadas para provocarem reflexões a cerca da ansiedade gerada por uma sociedade gordofóbica, a relação da infância com a comida, a ideia de existência de um corpo ideal ou uma medida certa. “Dois pesos,  Duas medidas" é apoiado no trabalho da mimese e do humor desses dois corpos gordos para subir e quebrar o medo da balança. 
 
Calibam e Beltrão trazem depoimentos e rememoram situações vivenciadas – o desfile de princesa do colégio; os comerciais cheios de tentação; crises de ansiedade; exclusão e reclusão social; superação e autoestima – “O corpo gordo que você se envergonha é lindo"; cirurgias e bariátricas; privações; as piadas e apelidos no ambiente familiar, estudantil e social; dietas infindáveis; a não conquista de personagens emblemáticos no Teatro - Hamlet, Romeu, Julieta, entre outros.
 
Em um dos momentos do espetáculo, Calibam recorda da criança tímida e calada que se escondia no quintal de casa para brincar sozinha de criar personagens. “Ali eu Nunca era gordo, sempre me via Belo, Alto e Magro”. “Eu sempre convivi com manifestações de gordofobia. Desde criança, passando pela adolescência e chegando até a idade adulta. Acredito que mostrar esses problemas ao público sem sofrimento, através da diversão e do entretenimento transfere para mim o poder da situação, deixando o lugar de vítima e passando a controlar a situação que agora me empodera”, descreve o ator, que completa 20 anos de carreira em 2019.
 
Já Beltrão comenta que vive uma vida de dilema. “Sempre ouvi: Você não é gorda. Você é gordinha, fofinha, proporcional. Isso sempre me soou como se as pessoas quisessem amenizar minha gordura. Gente, sou gorda. Emagreci 10 quilos, continuo gorda. Tem haver com minha estrutura corporal. O fato de Calibam ser mais gordo que eu não me torna mais magra. O corpo do outro não pode ser meu parâmetro. Meu parâmetro sou eu, minha altura, minha estrutura”, pontua. 
 
Em sua terceira direção, Guisande conta que “Dois pesos, Duas medidas" é um espetáculo que traz dois atores amigos para falarem de um assunto que é pouco debatido. “A ideia era produzir algo para trazer Calibam de volta a cena, depois de um período longe dos palcos. Um espetáculo que tivesse contação de histórias, muito humor e palhaçaria. Ao mostrar os rabiscos textuais a Fernanda, percebi que podia levar os dois para o palco para falarem desses corpos gordos, com pesos e estéticas diferentes e que ainda sim são gordos”, descreve o diretor.
 
Com poucos elementos cênicos, nenhum cenário e muita dança, “Dois Pesos, Duas Medidas" tem direção de movimento e assistência de direção de Mônica Nascimento. O espetáculo, repleto de músicas cantadas ao vivo, tem direção musical de Luciano Salvador Bahia. Já a iluminação é de Alisson de Sá e o figurino é uma criação coletiva de Guilherme Hunder e Fernanda Beltrão. 
 
Ficha técnica 
Dramaturgia – Daniel Calibam, Fernanda Beltrão e João Guisande
Direção- João Guisande
Elenco – Daniel Calibam e Fernanda Beltrão 
Coreografia e assistência de direção - Mônica Nascimento 
Direção musical e trilha sonora - Luciano Salvador Bahia
Iluminação – Alisson de Sá 
Figurino – Fernanda Beltrão e Guilherme Hunder 
Assessoria de Imprensa - Théâtre Comunicação / Rafael Brito Pimentel 
 
Serviço 
O quê: Dois Pesos, Duas Medidas – com Daniel Calibam e Fernanda Beltrão 
Quando: 21 de novembro a 13 de dezembro - quintas e sextas, às 20h
Onde: Teatro Sesi Rio Vermelho 
Ingresso: R$30 inteira e R$15 meia 
Venda: Bilheteria do Teatro e no LINK www.sympla.com.br/doispesosduasmedidas
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.